Rua Adalgisa Lima 323 | 201 - Cerqueira Lima - Itaúna | MG

(37) 3242-3962 jmaximo@jmaximo.com.br

A responsabilidade da decisão é de quem?

jmaximo crescimento planejado r

jmaximo chess3

Muitos empresários me reclamam que seus funcionários não resolvem nada, e que sempre escolhem os caminhos que não são o melhor para a empresa, seja na solução de um problema que apareceu, seja em um desconto concedido, ou seja em uma concessão de crédito malfeita.

E todas as vezes que pergunto se o funcionário tinha orientação sobre o que, quando e como fazer, os empresários respondem que sim. Porém quando pergunto se estas orientações estavam definidas, e formalizadas (escritas), menos de 5% fala que realmente estão definidas, escritas e disponíveis aos funcionários.

O empresário quer que seus funcionários funcionem em ambientes dinâmicos e complexos, pensando exatamente como ele. Esquece isto, nunca será assim, é outra pessoa que tem outra vida, outro nível de conhecimento e de responsabilidade sobre o negócio.

Na ânsia de ajudar o funcionário, que não conhece as bases de planejamento, e nem a estratégia do negócio, até pode tentar fazer a coisa certa, mas nem sempre é o que se vê no resultado da decisão por ele tomada.

A política comercial da empresa que envolve a formação do preço, as condições de pagamento em número de parcelas e prazos, os meios de pagamento aceitos, e o mais desejado pela empresa; o como, o quanto e também quando se dá descontos, como se concede crédito, e até que limite, como é o sistema de cobrança da empresa, a política de trocas de produtos e as garantias oferecidas aos clientes.

A política precisa estar definida com antecedência, e disponível aos funcionários para estudar entender para praticar, e quando necessário por dúvida ou esquecimento consultar a política da empresa.

Quando a política comercial não está formalizada, e não somente a política comercial, as metas, o calendário de ações promocionais, o plano estratégico da empresa, assim como o regimento interno e os procedimentos operacionais, o funcionário irá tomar a decisão e não o empresário, que não estando presente fisicamente, ou ao alcance do telefone, será substituído em sua decisão pelo funcionário.

As decisões de organização, de estruturação, de operação e funcionamento, e de planejamento empresarial, são obrigações do empresário e devem ser realizados pelo empresário e devem ser exclusivamente decididas pelo próprio empresário, com a participação ou não dos empregados. Quando este empresário se julgar, ou se sentir incapaz de realiza-los deve contar com ajuda de um consultor externo.

Tome a decisão e faça a diferença em seu negócio!

Bons negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>